quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O que ninguém conta sobre gravidez e maternidade


Existem coisas sobre gravidez e maternidade que ninguém conta! A parte linda, encantadora, maravilhosa feita de milagre, eternidade e deslumbramento, todas sabemos... 

Mas, tem um lado que ninguém fala e que a gente descobre incrédula entre suspiros e sustos depois que descobre que está grávida... 

De repente você toma enjôo do cheiro do marido, vomita os bofes com hora marcada, vê seus mamilos crescerem como se fossem ovos estalados, uma risca escura pode surgir no meio da sua barriga, o umbigo salta indecente, pelos furiosos despontam no seu rosto como se fosse barba, você passa a freqüentar os banheiros mais sórdidos para não morrer de vontade de fazer xixi, cãibras apocalípticas acordam você no meio da noite, você chora com anúncio de margarina e bom-dia do porteiro, suas unhas quebram, seus cabelos caem, seus dentes enfraquecem, você começa a comer coisas odiosas como se fossem iguarias (repolho, pizza dormida, bolo com maionese...), varizes podem saltar desenhando relevos nas suas pernas, seus pés adquirem um aspecto grotesco de pão, um dia você percebe que não consegue mais enxergar algumas partes do seu corpo eclipsadas pela barriga e no final da gestação você se arrastará como uma foca e dormirá sentada por 4 horas no máximo.
 

Pode ser que a bolsa d’água rompa no cabeleireiro; as contrações virão furiosas e você vai achar que dor de canal é fichinha; no hospital você será raspada, terá os intestinos lavados e antes de apagar verá uma agulha de injeção cavalar pronta para entrar nas suas costas.

O nascimento do bebê é só alegria!
Isso faz parte da parte que a gente sabe sobre a maternidade! A saga continua... Seus seios se transformam em bexigas de leite e quando o bebê começa a sugar mil agulhas parecem pinicar; a primeira levantada da cama depois da cesárea corresponde ao 13º trabalho de Hercúles, nesse instante você terá certeza que jamais voltará a caminhar ereta, não bastasse tudo isso, você observará atônita sua barriga praticamente do mesmo tamanho mesmo sem o bebê... 

Em casa você terá a sensação de que o seu nenê mama com pequenos intervalos de 12 minutos, durante os quais ele fará cocô, xixi, regurgitará, trocará de fralda e roupa e quando estiver todo trocado e limpinho, regurgitará e fará cocô de novo! As noites podem ser intermináveis. E você verá que do segundo choro em diante seu marido passa a ser surdo. Ser mãe é mesmo padecer no paraíso, ficar insone, ter olheiras, cheirar a golfada...

Depois de umas semanas em casa, o bebê já é um perfeito ditador. Aquela coisinha mínima define todos os horários, os humores e  os programas. A essas alturas sua barriga pode parecer a de um basset-hound cheia de pele solta e você perceberá boquiaberta que o papai orgulhoso tem ciúmes do filhote e morre de aflição de transar com a mãe do filho dele!

E assim, entre maravilhamentos e banalidades seguimos bem-aventuradas! Porque mãe é um bicho louco e esquece tudo quando o filho sorri, agüenta tudo por ele e a despeito de todas as novidades (aquelas coisas estranhas e bizarras que nunca nos contam), ela vive de amor!

Nunca mais sua vida, seu tempo, sua casa, seus planos lhe pertencerão. Nunca mais você será só, nunca mais você terá paz, aquela paz de quem não se sente responsável por ninguém. O mundo lhe parecerá um lugar ameaçador e você terá medo de morrer porque alguém precisa de você... Você sentirá emoções nunca imaginadas, será forte e frágil, sábia e inexperiente, serena e histérica, tudo com a mesma intensidade e ao mesmo tempo. E você se pegará rindo, chorando, absolutamente apaixonada por aquele serzinho espaçoso que fez estrear a Mãe em você!

Nada é tão sagrado e definitivo! (Isso é uma das coisas que todos contam, mas você só entende quando vive!)


Por Hilda Lucas

5 comentários:

  1. Lindo! E é bem assim mesmo. Passamos por tudo isso uma vez e ainda temos o segundo (no meu caso, o terceiro, o quarto e o quinto!). E amamos esse seres que nos roubam a vida!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Lê - Dilemas de uma mãe sem manual!28 de out de 2011 03:03:00

    Isso é verdade!!! Parece que o texto foi escrito pra mim!!! Bjo

    ResponderExcluir
  3. Mari, morri de rir com o post.
    É exatamente TUDO isso. Nossa vida muda completamente, mas as transformações por vezes negativas, vem acompanhadas do amor de nossas vidas.
    Então, está tudo bem... rs
    bju no coração
    verdadesdemae.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!! pura verdade!! acontece mtas dessas coisas mesmo. beijos

    ResponderExcluir
  5. adorei, é perfeito. posso colar no meu blog?
    beijos, mariana

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails
 

Template adaptado por Giovana Layouts