quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Mudança!!!

Olá pessoal! Estamos de mudanças para uma casa novinha, e o melhor, própria (a que estou morando é alugada)! rsrs. A casa está caótica, com caixas, malas, empilhadas por todo o lado, tem que sair pulando... Pedrinho é que esta adorando! rsrs Estou quase me perdendo dentro desta grande bagunça! Mas estou muito contente por estar fazendo esta, que espero, ser minha última mudança aqui em PG. Semana que vem vou estar um pouquinho ausente do Mundo do Pedro,  mas espero voltar bem rapidinho! Tenham um excelente fim de semana e assim que puder venho dar noticias. beijinhos

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Pedrinho com bronquite

Nossos filhotes não deviam ficar doentes! Que dor no coração!
Semana passada o Pedro ficou dodoizinho. Tudo começou na segunda, dia 18, com uma tosse chata, acompanhada de febre. Com o passar dos dias a febre foi embora, mas a tosse só foi piorando. Liguei para o pediatra que receitou o Desalex e disse não haver necessidade de uma consulta (somente se ele piorasse e a febre voltasse). Como a tosse estava aumentando, no sábado pela manhã levei o pequeno ao pronto atendimento do Hospital da Unimed e o médico plantonista disse que não era nada... E o meu filhote só piorando, mas não dava febre, somente tosse...
Hoje pela manhã notamos uma piora significativa na tosse, e seguindo nossos instintos, ligamos para o pediatra que nos orientou a leva-lo urgente ao seu consultório.
Resultado: Pedrinho está com bronquite!
O pedi passou um remédio chamado Aerolin e inalação durante 14 dias com Clenil para o tratamento da bronquite.
Que tristeza é ver nossos pequenos filhotes doentinhos!

Bronquite em crianças e bebês
Causas e tratamento da bronquite em crianças e bebês
A bronquite é uma inflamação dos brônquios, acompanhada de tosse e expectoração. A bronquite é uma inflamação das principais vias aéreas para os pulmões. A bronquite pode ser de curta duração (aguda), ou crônica, ou seja, que dura por muito tempo e aparece com frequência.

Causas da inflamação dos brônquios
Deve-se, na maioria dos casos, a um catarro ou a uma gripe. A bronquite aguda, geralmente segue a uma infecção respiratória, e afeta inicialmente o nariz, os seios paranasais e a garganta, e logo se propaga até os pulmões. Algumas vezes, uma pessoa pode adquirir outra infecção bacteriana (secundária) nas vias respiratórias. Isso significa que, além dos vírus, existem bactérias que estão infectando as vias respiratórias.

As crianças correm riscos de bronquite aguda, se:
Os bebês e crianças pequenas têm maior risco de bronquite durante seu desenvolvimento, se seus pais fumam, ou se têm uma doença cardíaca ou pulmonar adjacente.

A bronquite crônica nas crianças
A bronquite crônica é uma infeccção de longa duração. As pessoas têm tosse que produz mucosidade excessiva. Para fazer o diagnóstico de bronquite crônica se requer que a pessoa tenha tosse com mucosidade durante a maioria dos dias do mês, durante pelo menos 3 meses.
A bronquite crônica também se conhece como doença pulmonar obstrutiva crônica, ou como EPOC, para abreviar (O enfisema é outra variante de EPOC). À medida que esta infecção se agrava, a pessoa apresenta cada vez mais dificuldade para respirar, tem dificuldade para caminhar ou realizar esforços físicos e pode precisar de oxigênio suplementar de maneira regular. A fumaça dos cigarros, é a principal causa de bronquite crônica. A gravidade da doença, muitas vezes depende de quanto tenha fumado ou por quanto tempo tenha sido exposto à essa fumaça.
Os seguintes fatores podem agravar a bronquite: a poluição do ar, certas ocupações (como a extração de carbono, a fabricação de têxteis e a manipulação de grãos), as infecções e as alergias.

Tratamento da bronquite
Em geral não requer tratamento antibiótico. Para amolecer o muco, convém que a criança tome muito líquido. Se a tosse for seca, convém dar um antitussígeno. Pelo contrário, se na tosse se elimina secreções, não é indicado dar medicamentos para cortar a tosse. Contribuem para reter o muco nos pulmões, situação que favorece a infecção.
Não se necessitam antibióticos para a bronquite aguda, causada por um vírus.
A infecção geralmente se resolve espontâneamente em uma semana. Pode-se tomar as seguintes medidas para alcançar algum alívio:
Paracetamol para a febre. NÃO SE DEVE admnistrar aspirina às crianças.
Descansar.
Tomar muito líquido .
Utilizar vaporizador ou vapor no banho.
Se os sintomas não melhorarem, o médico pode receitar um inalador para abrir as vias respiratórias e receitará antibióticos se acreditar que a pessoa tem uma infecção bacteriana secundária.
Fonte: Guia Infantil

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Tudo o que disser poderá ser usado contra você...

A linguagem do Pedrinho está evoluindo mais e mais a cada dia. Nosso pequeno fala de tudo, já forma pequenas frases.
Cada dia diz uma palavra nova e repete tudo o que dizemos (um perigo!).
Eis aqui algumas coisas que dizemos aqui em casa e que o Pedrinho anda repetindo nas mais diversas situações:

- Nossenhoia! (Nossa Senhora - quando acontece algo perigoso)
- Noooooosssssaaaaaa (quando acontece algo assustador rsrs)
- Jejus! (Jesus - corre que o bicho tá pegando!)
- Não aquedito! (não acredito)
- Ai... Ai... Ai...
- Só poquinho! (só um pouquinho)
- Tá case ponto! (tá quase pronto!)
- Pontinho! (prontinho)
- Esfia! Tá tente! (Esfria! Está quente!)
- Cudado! (cuidado)
- Cotado! (coitado - quando ve alguém se machucando...)
- Num dá! (não dá)
- Muto bem! (muito bem!)
- Busseguiu! (conseguiu!)
- Massucô! (machucou)
- Ajuda!
- Ti mamo! (te amo!)
- Num pode! (não pode!)
- Qui tal nana? (que tal irmos nanar?)
- Bateu! (quando bate seu corpinho em algum lugar)
- Se qué? (leia-se Eu quero...)
- É da mamãe? (se não é dele automaticamente é da Mamãe! rsrs)
- Cáco Seus! (Vai com Deus)
- Chencha! (licença)
- Favoi! (por favor)
- Oguigado! (obrigado!)
- Cáqui! (Fica aqui!)

Conforme eu for me lembrando colocarei mais algumas...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

EXTRA, EXTRA! PEDRINHO NA REVISTA TRIPLIK


EXTRA, EXTRA! PEDRINHO SAIU NA REVISTA TRIPLIK

Pedrinho teve sua foto divulgada na Revista Triplik, edição 42, mês de dezembro. A revista (da editora Profashional) das marcas Tigor T. Tigre e Lilica Ripilica, da Marisol S. A., é dirigida ao público infantil.


quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

I'm Yours - versão Pedrinho

video

COLORIR

Colorir desenhos é uma atividade tão natural para as crianças como dormir e chorar. Muito mais do que formas aleatórias, colorações monocromáticas ou rabiscos quase ilegíveis, o ato de colorir é extremamente importante, incentivando o desenvolvimento de várias e essenciais capacidades.

Expressão pessoal. Desenhar e colorir são formas de expressão pessoal por excelência das crianças, que nem sempre conseguem exprimir-se adequadamente através da fala ou da escrita. Vários estudos já comprovaram que é bastante fácil perceber o que alguém está a sentir através das imagens que desenha ou das cores que utiliza para colorir. Por exemplo, uma criança que desenha facas, pistolas, caveiras ou outros objectos perturbantes pode estar a pedir ajuda. Por outro lado, uma criança que desenha o sol, passarinhos, corações ou outros objectos alegres, pode estar a expressar o seu contentamento. É um exercício excelente para desenvolver personalidades e deixar a criatividade fluir!

Identificação das cores. A maioria das crianças tem a sua primeira (e muitas vezes única!) exposição à roda das cores e ao conceito de arte, graças às brincadeiras infantis com lápis de cor, de cera e marcadores. Aprender a distinguir as diferentes cores bem cedo, é meio caminho andado para perceber as suas várias e correctas aplicações, bem como possíveis misturas entre cores primárias e secundárias, mais tarde.

Uma forma de terapia. O simples ato de colorir pode ser terapêutico para muitas crianças e é uma atividade utilizada em muitos hospitais, centros de aprendizagem e instituições para possibilitar o “descarregar” de emoções, sentimentos e frustrações. Uma criança zangada pode perfeitamente pintar o seu desenho de uma árvore toda preta, a tal ponto que a própria figura deixe de ser visível. De outra perspectiva, uma criança organizada, que gosta das coisas à sua maneira, pode colorir o seu desenho meticulosamente, sem ultrapassar qualquer linha do mesmo. Independentemente da forma como vai colorir ou desenhar, esta é uma excelente forma de acalmar as crianças.

Aprender a segurar e a controlar. Um lápis de cera é, para muitas crianças, o primeiro objeto que aprendem a segurar, para o poderem controlar. Dominar um lápis de cera é a rampa de lançamento para conseguirem dominar as restantes ferramentas de colorir – lápis de cor, marcadores, pincéis – e, mais tarde, os de escrita – caneta e lápis. Quanto mais bem desenvolvidas estiverem as suas capacidades de segurar e de controlar um lápis de cera, mais facilitada será a sua aprendizagem mais tarde, quando começarem a escrever.

Coordenar para pintar. O desenvolvimento da coordenação olho-mão é outra grande lição que as crianças retiram das suas sessões de colorir. Desde segurar firmemente o lápis de cera, a reconhecer as cores que devem ser utilizadas, até ao ato de afiar os lápis, a verdade é que colorir desenhos implica uma enorme coordenação entre os olhos e as mãos. Quanto mais praticarem, mais vão desenvolver esta aptidão tão básica para a vida.

Aperfeiçoamento das capacidades motoras. Colorir é divertido, não é? Pois é! Mas também é muito mais do que isso – enquanto as crianças se entretêm a colorir, interagindo com marcadores, tintas, lápis de cor, de cera e papel, estão a trabalhar e a fortalecer os músculos das mãos. Colorir exige uma coordenação básica e um esforço conjunto entre os músculos dos braços e os das mãos que, uma vez desenvolvidos, permitirão às crianças executar atividades mais exigentes, mas com dificuldade mínima.

Concentração máxima. As crianças que se dedicam a 100% à coloração dos seus desenhos fazem-no na perfeição: não há espaço que fique por preencher, nem linha que tenha sido cruzada! E isto porquê? O simples ato de colorir tem a capacidade de prender a atenção de uma criança, estimulando a sua concentração máxima, mesmo face a um ambiente barulhento como uma sala de aula ou a cozinha antes da hora de jantar. Com o passar do tempo, os seus níveis de concentração vão continuar a melhorar.

Estabelecer limites. Uma criança mais nova não saberá respeitar as linhas do seu desenho tão bem como uma criança mais velha que já faz um esforço enorme para colorir dentro das mesmas… mas depressa chega lá! E ainda bem! Reconhecer e respeitar estes limites (mesmo que sejam os de um desenho!) é uma excelente experiência e método de aprendizagem para aquilo que se segue: escrever letras e números nas linhas de um caderno!

Missão cumprida! A satisfação e o sorriso na cara de qualquer criança que consegue colorir um desenho inteiro dentro das linhas, é uma vitória muito importante para os artistas de palmo e meio! O sentido de cumprimento, de que tudo é possível, é fundamental para as crianças porque dá-lhes motivos para se sentirem orgulhosos, capazes, confiantes e, claro, para ser congratulado pela sua comunidade mais imediata. Para além disso, é um sentimento de “missão cumprida” que dificilmente esquecerão.
Related Posts with Thumbnails
 

Template adaptado por Giovana Layouts